UM VOLKSWAGEN CORRADO G60 NUM RALI?

Volkswagen

Foto: Bruno Grácio

Decorreu o Rally de Lisboa, gigantesco evento desportivo na capital, e onde a equipa Mafrense de competição Jet Motorsport, se apresentou com um Volkswagen Corrado, para participar naquele que foi o seu segundo rali.

Uma participação plena de novidades e peripécias, mas que culminou num desfecho favorável para esta equipa.

Leia também

JET MOTORSPORT NO RALLY DE LISBOA 2022

Página da equipa

Site oficial do evento

O Volkswagen Corrado G60 proporcionou muitas novidades e peripécias

Tendo como base operacional e parque de assistência a antiga Praça Sony, no parque das nações em Lisboa, os preparativos começaram logo na sexta-feira.

Como relata o responsável da equipa e também piloto, Cristiano Santos, “a azáfama começou logo na sexta de manhã, quando entrámos naquele espaço enorme da praça sony, com toda a parafernália necessária para montar a nossa tenda de assistência.

Não é fácil descrever as sensações ao perceber que o sonho era, afinal, bem real.

E desde o início, por parte da organização, tivemos um apoio inexcedível por parte da organização, que nos acolheu e nos ajudou em tudo o que era possível”.

Montada toda a tenda, na verdade um verdadeiro stand de apoio ao carro e de promoção de todos os parceiros do projecto, passou-se para a verificação técnica do Volkswagen Corrado G60, a qual foi completada com sucesso, deixando a equipa e o seu carro prontos para a competição que iria começar nesse sábado.

O tempo que sobrou, foi aproveitado pela equipa para os últimos ajustes, e para desfrutar um pouco do ambiente do parque de assistência.

Nas palavras do navegador Rúben Valente, “foi tudo um grande stress, montar a tenda, preparar o carro para ser verificado, e depois das verificações, lá sobrou algum tempo para rever notas, antever potenciais dificuldades, e também para conviver.

Muitas pessoas não imaginam o ambiente mágico que se vive aqui.

São os carros, os outros pilotos, membros de outras equipas e até o público em geral, que de vez em quando interagia connosco e mostrava espanto ao ver o nosso carro”.

Súbita falha de potência no Volkswagen Corrado G60 obrigou a encostar

Chegados à primeira Classificativa, em Arruda dos Vinhos, piloto e navegador ainda conseguiram fazer dois terços da mesma, após o que uma súbita falha de potência os obrigou a encostar o Volkswagen Corrado G60 e tentar resolver.

Quando íamos a progredir muito bem, e a desfrutar do carro ao máximo, perdemos potência, e tivemos de encostar.

Conseguimos reparar o problema no local, mas uma grande demora em reentrar na classificativa fez com que fôssemos extremamente penalizados.

Quando chegámos ao controlo horário seguinte, já não pudemos competir, sendo declarada a nossa desclassificação no primeiro dia do rali.”, conta o piloto.

Com efeito, sendo um rali de dois dias, os regulamentos permitem que uma equipa que seja desclassificada no primeiro dia regresse no segundo, denominado “Super Rally”, com as correspondentes penalizações associadas.

E foi isso que a Jet Motorsport fez, conforme referiu o Cristiano Santos: “trouxemos o carro para o Parque de Assistência.

A nossa equipa conseguiu não só reparar definitivamente o problema, mas também garantir que nenhum semelhante tornaria a acontecer.”.

Foto: Nuno vila Franca

Uma palavra para descrever… brutal!!!

O segundo dia foi, nas palavras de Cristiano Santos, onde o verdadeiro rali começou:

reposto o Volkswagen Corrado G60 conforme deveria, alinhámos no Super Rally, e foi aí que o nosso rali começou.

Então na primeira PEC, em Alenquer, foram dezasseis quilómetros em que pudemos arriscar um pouco mais, e só posso usar uma palavra para descrever… brutal!!!”.

O público também não foi esquecido, desta feita nas palavras do navegador:

nós não vamos o tempo todo a olhar para as bermas, mas do que conseguimos espreitar, foram milhares e milhares de pessoas espalhadas pelos troços.

Este rali é uma aposta ganha!”.

Em jeito de balanço, e questionado sobre se os objetivos foram atingidos, Cristiano Santos foi taxativo: “na nossa perspetiva, os objetivos foram plenamente atingidos.

Trouxemos o Volkswagen Corrado G60 inteiro para a Vila de Mafra, o que é o nosso maior troféu, temos a noção de ter conseguido dar aos nossos parceiros e patrocinadores a visibilidade que justamente merecem, e por fim, tivemos o grato privilégio de participar deste grandioso evento que é o Rally de Lisboa.

O que aconteceu pelo caminho, são percalços normais desta actividade. E se fosse fácil, estariam cá outros.”.

Na parte que toca ao balanço da organização da prova, o piloto foi igualmente afirmativo, tendo elogiado amplamente todos os oficiais de prova, membros do staff e demais pessoas que colocaram este evento de pé.

O piloto da Jet Motorsport deixou ainda uma referência muito elogiosa aos demais pilotos de Mafra que também participaram:

Volkswagen
Foto: José Cardoso Guerreiro

Próxima paragem no “Almada Extreme Sprint 2022”

Sendo eu um Mafrense de coração, a residir no nosso concelho há mais de 22 anos, só posso ficar agradado com a prestação de todos os colegas Mafrenses que também participaram.

Alguns deles em posições muito elevadas das tabelas de classificação: falo do Gonçalo Boaventura, do Paulo Fiúza com o Nuno Batalha, do Pedro Baiona, do João Rodrigues, e também a Lena Duarte.

Esta última com uma menção ainda mais especial, pois conseguiu recuperar o seu Fiat Uno cor-de-rosa em tempo recorde, alinhar neste rali e terminar a prova, já com grande custo, fazendo desta equipa, para mim, a verdadeira vencedora neste Rali.”.

Questionado acerca dos objetivos futuros, o piloto referiu o “Almada Extreme Sprint 2022”, a ter lugar nas antigas instalações da Lisnave, em 17 e 18 de Setembro, como a próxima prova em que pretendem participar.

A equipa agradece aos parceiros e patrocinadores o apoio e a confiança depositada na Jet Motorsport.

Parceiros

Deixe uma resposta