Maratona e Marcha fecham presença portuguesa em Tóquio

Maratona

Os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 estão a chegar ao seu final, tal como o atletismo. Como sempre, a maratona masculina será a última prova do programa do atletismo, mas para os portugueses, a participação nacional fecha antes.

Leia também

Tóquio 2020 ouviu-se “A Portuguesa” pela quinta vez

Texto: Federação Portuguesa de Atletismo

Ana Cabecinha nos 20 km marcha

E tudo começará às 8.30 horas, quando for dada a partida, em Sapporo, para a prova dos 20 km marcha. Ali estará Ana Cabecinha, de 37 anos de idade.

A atleta do Clube Oriental de Pechão, treinada por Paulo Murta, já conta com três participações em Jogos Olímpicos e sempre em posições de finalista.

O seu melhor resultado foi no Rio 2016, sexta classificada, a melhor prestação de sempre de uma marchadora portuguesa, depois do oitavo lugar em Pequim 2008 e do sétimo em Londres 2012.

Ana Cabecinha

A recordista nacional da distância, que assegurou a sua marca de qualificação no final do ano passado (1:35.46), numa das primeiras competições autorizadas, estará em Tóquio determinada em conseguir melhorar essa classificação.

Mas não terá tarefa fácil. As três melhores do ano, as chinesas Jiayu Yang (1:23.49) – recordista mundial -, Hong Liu (1:24.27) – a campeã olímpica em título – e Shijie Qieyang (1:24.45), têm por objetivo conseguir um triplete no pódio, para o que deverão tentar colocar a prova em andamentos muito rápidos.

Ainda estarão em competição as atletas Antonela Palmisano, de Itália, vencedora individual do Campeonato da Europa de seleções em marcha atlética, e as vencedoras coletivas as espanholas Maria Perez (2ª individual nessa competição), Laura Garcia-Caro (3ª) e Raquel Gonzalez (4ª), entre outras competidoras de grande palmarés, como a brasileira Erica de Sena (7ª no Rio 2016) ou a colombiana Sandra Arenas, 5ª nos Mundiais de 2019.

Maratona conta com a presença de Salomé, Sara e Catarina

No final do dia, às nossas 23 horas, será dada a a partida para a prova da maratona feminina.

Nas ruas de Sapporo estarão três das melhores maratonistas portuguesas de sempre: Salomé Rocha, terceira de sempre com 2:24.47 (2019), Sara Moreira, quarta de sempre com 2:24.49 (2015) e Catarina Ribeiro, oitava de sempre com 2:26.39 (2019). Todas representam o Sporting Clube de Portugal.

Maratona
Sara Moreira

Sara Moreira

A única que correu esta época (em 2:26.42), Sara Moreira, treinada por Carlos Monteiro, é a mais experiente em Jogos Olímpicos, contabilizando três participações em três provas diferentes: nos 3000 metros obstáculos, em Pequim 2008, nos 10 000 metros em Londres 2012 (14ª) e na maratona, no Rio 2016 (desistiu).

A campeã europeia de meia maratona, após algumas épocas menos fulgurantes, devido a lesões, pretende redescobrir-se nas estradas nipónicas.

Maratona
Catarina Ribeiro

As duas outras portuguesas, treinadas por Rui Ferreira, apresentam-se em Sapporo com experiências diferentes.

Catarina Ribeiro

Para Catarina Ribeiro, será a estreia absoluta, numa distância em que ainda tem alguma inexperiência em grandes competições, mas sempre mostrou espírito competitivo e estará em busca de um resultado de alto valor.

Já alinhou à partida em nove maratonas.

Salomé Rocha

Salomé Rocha

Para Salomé Rocha, será a sua segunda presença, depois da estreia no Rio 2016, então nos 10 000 metros (26ª).

Salomé contará com a sua experiência na maratona dos Mundiais de 2019, onde enfrentou forte calor e humidade, como irá encontrar em Sapporo, embora as condições climatéricas da ilha de Hokkaido sejam diferenças de Tóquio.

Esta será uma prova muito difícil, com adversárias de grande valia onde tudo pode acontecer.

Uma certeza, nenhuma das atletas que subiram ao pódio estará em competição e, das cinco melhores maratonistas do ano, apenas a japonesa Mao Ichyama (2:21.11) estará na competição.

Leia também os artigos sobre a prestação portuguesa nos Jogos Olímpicos

Patrícia Mamona e Auriol Dongmo apuradas para as finais

Liliana Cá na final do disco, Irina Rodrigues ficou fora

Carlos Nascimento afastado na primeira ronda

Auriol Dongmo a cinco centímetros da medalha

Alto Calibre de Patrícia Mamona na obtenção da prata

Liliana Cá na final do disco à procura do pódio

Liliana Cá protagoniza mais um feito histórico

Pichardo voou para a final em Tóquio 2020

Marta Pen e Cátia Azevedo nas meias-finais em Tóquio

Sapporo, crónica do desconforto dos atletas

Cátia e Marta terminaram prestação olímpica

Triplo-Salto e 50 km Marcha, duas finais com portugueses

Pedro Pichardo sagra-se Campeão Olímpico

Parceiros

Deixe uma resposta