Tóquio 2020 ouviu-se “A Portuguesa” pela quinta vez

tóquio 2020

A bandeira de Portugal subiu hoje mais alto em Tóquio 2020, pela quinta vez na sua história, e ouviu-se o Hino português num pódio dos Jogos Olímpicos.

Texto:Federação Portuguesa de Atletismo

Tóquio 2020, 36 anos depois do primeiro ouro olímpico

36 anos depois do primeiro ouro olímpico (quase 37, foi a 12 de agosto de 1984), Pedro Pichardo recebeu no Estádio Olímpico de Tóquio a medalha de ouro do quinto triunfo olímpico português.

Depois de Carlos Lopes, já citado, Rosa Mota, Fernanda Ribeiro e Nélson Évora, Pedro Pichardo fez ouvir pela quinta vez na História o Hino de Portugal num pódio olímpico.

Já tem ao peito a sua medalha de ouro, depois do salto de 17,98 metros que lhe valeu o triunfo no concurso olímpico do triplo salto e um novo recorde de Portugal.

tóquio 2020
Pedro Pichardo com Yaming Zhu, e Hugues Fabrice Zango

Emocionado, o português não escondeu a sua alegria ao subir ao lugar mais alto do pódio, ao lado do chinês Yaming Zhu, segundo classificado, e de Hugues Fabrice Zango, do Burkina Faso, terceiro.

Pichardo pegou na medalha de ouro, colocou-a ao peito e exibiu-a para a bancada. Depois, virou-se para a bandeira nacional e escutou ‘A Portuguesa’, que foi entoando com a máscara na face.

Pedro Pichardo

Em declarações à RTP, Pichardo disse sentir “Felicidade, muita felicidade. Estou muito feliz.

Ser campeão olímpico é o máximo a que posso aspirar. É o melhor que há.

Ainda parece que estou a sonhar, toda a gente quer falar comigo. Tenho de esperar uns dias para perceber que é mesmo realidade”.

Agora, o sonho é o recorde do mundo, que espera bater até antes dos próximos Jogos Olímpicos. “Vou continuar a trabalhar para chegar a Paris como recordista do mundo.

Acreditei até ao último salto que hoje podia ultrapassar os 18 metros”, explicou.

Leia também os artigos sobre a prestação portuguesa nos Jogos Olímpicos

Patrícia Mamona e Auriol Dongmo apuradas para as finais

Liliana Cá na final do disco, Irina Rodrigues ficou fora

Carlos Nascimento afastado na primeira ronda

Auriol Dongmo a cinco centímetros da medalha

Alto Calibre de Patrícia Mamona na obtenção da prata

Liliana Cá na final do disco à procura do pódio

Liliana Cá protagoniza mais um feito histórico

Pichardo voou para a final em Tóquio 2020

Marta Pen e Cátia Azevedo nas meias-finais em Tóquio

Sapporo, crónica do desconforto dos atletas

Cátia e Marta terminaram prestação olímpica

Triplo-Salto e 50 km Marcha, duas finais com portugueses

Pedro Pichardo sagra-se Campeão Olímpico

Parceiros

Deixe uma resposta